top of page
  • Foto do escritorTaxly

MVP: A metodologia que faltava na sua empresa

Atualizado: 20 de jul. de 2023


O que é MVP?


No mundo das startups existem inúmeras siglas, palavras e sopas de letras que podem ser difíceis em um primeiro contato. Mas existe uma que é muito importante lembrar e pôr em prática: Minimum Viable Product – também conhecida como MVP ou Produto Mínimo Viável em português.


Para que serve um MVP?


Você já parou para pensar que gigantes do mercado como Facebook, Google e Amazon não começaram com todas essas funcionalidades que vemos hoje? Você sabia que muitas delas na verdade evoluíram no decorrer dos anos?


O Facebook começou como uma espécia de Tinder, mas exclusivo para os alunos de Harvard. Com o passar do tempo, acabou por se tornar uma rede social que evolui até o Facebook que conhecemos hoje. Se parar para pensar, tenho certeza de que você se lembra de quando o “face” ainda era apenas um feed, com um logotipo quadrado e que te trazia a empolgação de encontrar amigos e conhecidos que você não via há tempos.

O Google começou com uma única e simples ferramenta: a busca. Mas essa busca não era apresentada de forma tão minimalista. Era cercada por botões e um tipo de FAQ (frequently asked questions), muito mais complexo do que hoje. Com o passar do tempo, a própria ferramenta de busca, seus critérios, filtros e organização foram sendo refinados, até chegar ao Google que vemos hoje.


A Amazon, por exemplo, começou com um site de anúncios de produtos que ficou conhecido como “e-commerce”. Mas esse e-commerce não contava com um sistema de pagamento integrado, nem aquele simples botão de compra com um clique. O leque de opções de produtos era extremamente menor e não havia sequer um sistema de busca.

Mas sabe o que todas elas têm em comum? Todas começaram com um produto mínimo viável (MVP) e aos poucos lançaram seus produtos no mercado, de forma rápida e permitindo a validação antes de apostar tudo em uma ideia que poderia ou não ser aprovada pelo mercado. E essa é a ideia central desta metodologia: lançar algo minimamente viável para o usuário, de forma que ele consiga interagir com a sua solução e depois, conforme a validação da necessidade do cliente, as melhorias e investimentos efetivos acontecem.


Como fazer um MVP? E como lançá-lo?


Antes de começar a construir ou testar um MVP, não se esqueceça de que a ideia central é a validação de uma hipótese de produto ou problema. Para isso, existem algumas ferramentas que podem te ajudar nesse processo:

· Construção de Landing-page: Para validar uma ideia, você pode usar alguns sites como Wix e Wordpress.com para desenvolver uma landing-page cujo intuito é divulgar o seu produto e ajudar a validar a aderência dos seus clientes à solução. Essa landing-page por ter, por exemplo, um campo no qual a pessoa se cadastre para receber um newsletter, ou para que ela seja notificada quando o produto estiver disponível. Dessa forma, você será capaz de verificar quantas pessoas se interessaram pela sua solução antes mesmo de gastar muito tempo colocando a mão na massa.


· Pesquisa com potenciais usuários: Criar formulários e protótipos (o tópico de desenvolvimento traz mais detalhes sobre isso! É só continuar a leitura) e pedir para aquele amigue e amigues do amigue que podem ser potenciais usuários da sua solução responderem pode ser um ótimo começo. Dessa forma, você pode aproveitar para validar não apenas a solução, mas também os principais problemas e dificuldades que essas pessoas enfrentam. Existem também inúmeras ferramentas que podem te ajudar a fazer pesquisas presenciais e em profundidade com esses potenciais usuários.


· Redes sociais: As redes sociais além de serem uma ótima fonte de divulgação, podem ter um papel importante na validação. Assim como o cadastro através da landing-page, conforme você movimenta uma conta em redes sociais com a sua solução, as pessoas demonstram interesse interagindo com a sua página, mandando mensagens e perguntas e, às vezes, até mesmo sugestões.


· Criação de vídeos: Vídeos animados podem ser forma descontraída, simples e de fácil compreensão para divulgar o seu produto ou explicar a sua ideia. A Dropbox começou com um vídeo, postado nas redes sociais, falando sobre o produto. A experiência mostrou aos criadores que havia uma alta aderência e os levou a decidir levantar capital para desenvolver o produto.


· Desenvolvimento: Esse pode ser um tema um tanto quanto controverso. Em um primeiro momento, aposte em ferramentas como o Adobe XD, Figma ou Marvel para testar com algumas poucas pessoas. Elas também são muito úteis para validar questões de tela, design e usabilidade. Se sua solução passar nesse primeiro filtro, então comece a gastar um tempo desenvolvendo algumas linhas de código para o seu MVP. Mas lembre-se! Esse código não precisa ser perfeito nem conter absolutamente todas as funcionalidades que você pensou. Vá na mais básica e que mais agregue valor primeiro e use e abuse de frameworks e bibliotecas prontas. Mais uma vez, se a sua solução passar por esse segundo filtro, aí é o momento de começar a desenvolver um código mais estruturado e gastar tempo nisso!


Por que eu preciso de um MVP?


Além da ideia central do MVP - ter um produto mínimo viável – o processo todo gera uma alta carga de aprendizado. Muitas vezes o que parece ser a solução perfeita para o cliente, acaba não resolvendo o problema ou não é o que ele precisa. Outras vezes, a solução é legal, mas o cliente não está disposto a pagar por ela. Ou ainda, pode ser que a sua solução seja legal e resolva o problema, mas o mercado ainda não precise dela – um clássico exemplo de timing errado.


Caso você não tenha 100% de certeza sobre as principais funcionalidades ou sobre qual seria o mercado idela para a sua solução, e não queira sair por aí gastando muito tempo e dinheiro, o MVP pode ser uma boa solução para você e para sua (futura) empresa.

2 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page